A Cara da Comunidade

2015

Terço dos Homens

A oração do terço é um exemplo de fé e devoção que não se limita às mulheres. Ao contrário, pode ser – e é bom que seja – praticado também por homens e constitui-se como um importante momento de meditação e conversão na vida deles. Percebendo a importância dessa prática de fé, o grupo do Terço dos Homens mantém-se forte e vivo há cinco anos em nossa paróquia. Trata-se, sem dúvida, de uma expressiva presença masculina nas atividades da Basílica, que volta seus olhos para os principais mistérios da vida e da redenção de Cristo, mas que acolhe a feminilidade e a maternidade na pessoa de Maria, mãe de Jesus, pedindo sua interseção junto a Deus nas adversidades da vida.

Dessa forma, o Terço dos Homens proporciona uma marcante e significativa experiência – tradicionalmente atribuída às mulheres – aos homens da paróquia. E mais: resgata-os para o seio da Igreja de Cristo, pois a presença masculina na Igreja é imprescindível para a formação da família e da comunidade cristã. O grupo, com seus encontros semanais nas terças-feiras, sempre às 20h, fortalece a fé e a amizade entre os homens, estabelecendo uma atuação masculina na paróquia.

Atualmente, o grupo conta com aproximadamente quarenta participantes, mas foram muitos anos de perseverança e esforço até chegar a esse número. A iniciativa corajosa diante do desafio de implementar o grupo em nossa paróquia partiu do antigo pároco Frei César Cardoso; e coube ao prestativo paroquiano Silmar Barrozo a tarefa de coordenar o recém-formado grupo – que na ocasião, era composto por apenas cinco membros – e de liderá-lo por quatro anos. Estando consolidado o Terço dos Homens, a coordenação foi reorganizada em um grupo coordenador encabeçado pelo senhor Antônio Silveira e composto por mais quatro membros: Vicente Duarte, Everaldo Jurema, Iracy Faria e Benedito Botelho. Uma das novidades atribuídas é a responsabilidade de organizar a missa de 11h30 de todo quarto domingo do mês.

Completaram-se, assim, cinco anos, e diante de tamanha alegria foi organizado um encontro para o dia 22 de Março em comemoração ao nascimento do grupo. A festividade conteve uma palestra ministrada pelo pároco atual Frei Fábio Magno, testemunhos de participantes do Terço dos Homens, oração do terço, e missa presidida pelo fundador do grupo, Frei Cardoso. Além de componentes do grupo, familiares e paroquianos, compareceram ao encontro comemorativo homens de outras paróquias do vicariato norte, onde também é rezado o Terço.

O Terço dos Homens mantém suas portas abertas para acolher todos os que queiram experimentar momentos de fé e emoção e faz questão de manifestar este convite.

Rodrigo Tiradentes

2014

Pré-Vestibular Comunitário Santa Teresinha

Estar atento às necessidades da sociedade também é uma missão importante de nossa paróquia. Para ajudar jovens e adultos que buscam um melhor futuro profissional, nossa paróquia conta com a equipe de talentosos professores que comandam o Pré-vestibular Comunitário Santa Teresinha. O curso existe desde 2010 e é feito em parceria entre a Pastoral da Caridade Social e a ONG Educafro (Educação e Cidadania de Afrodescendentes e Carentes). São cerca de 12 professores que, voluntariamente, ajudam os alunos a realizar o sonho de ingressar em uma universidade. E o trabalho rende bons frutos: a cada ano o número de aprovados só aumenta e, em 2013, 97% dos alunos foram aprovados no vestibular.

Para Marcus Lins, professor de física, o pré-vestibular comunitário traz o viés social da igreja, que deve ir além dos muros da basílica e chegar à comunidade. O curso é aberto a todos, até para quem não faz parte da paróquia ou não é católico. “É uma forma de levar esperança e transformação social a quem precisa. As pessoas têm aulas no ambiente acolhedor da igreja e isso pode ser uma porta para a fé também”, explica Marcus. Segundo o professor, dar aulas como voluntário o faz se sentir importante, já que traz um impacto positivo na vida das pessoas. Ele cursa engenharia de produção e um dia pretende também dar aulas em escolas e universidades. “É um trabalho muito gratificante. Enquanto os alunos aprendem física, eu aprendo com eles e me preparo para ser um professor cada vez melhor”, diz Marcus. 

Quem quiser participar da turma de 2015 pode se inscrever até o dia 25 de fevereiro.  Como são apenas 70 vagas, os inscritos participarão de um processo seletivo no dia 27 de fevereiro. A taxa de inscrição é de R$ 70 e é cobrada uma mensalidade no valor de 10% do salário mínimo para despesas administrativas e manutenção do espaço. Atendendo à proposta social do curso, para se candidatar a uma vaga é necessário estar cursando ou ter concluído o Ensino Médio em escolas públicas ou ter bolsa integral em escolas privadas. As aulas são ministradas de segunda a sexta-feira, das 18h às 22h, e aos sábados há aulas de reforço no período da manhã e da tarde. A equipe também conta com uma biblioteca e com monitoria para tirar dúvidas. As aulas devem começar no dia 2 de março e vão até o dia anterior à segunda fase do vestibular da UERJ. As fichas de inscrição estão disponíveis na secretaria de nossa basílica.

Luciana Weyne

Equipe São José de Promoção Humana

Neste ano que a Igreja dedica à caridade, não podemos deixar de olhar com amor fraterno para nossos irmãos que são carentes de pão e solidariedade. Em nosso bairro, além dos irmãos que moram nas ruas, temos muitas comunidades carentes, onde por vezes falta o pão de cada dia e as famílias se sustentam com muita dificuldade. Um exemplo de dedicação ao próximo em nossa paróquia é desempenhado pela Equipe São José de Promoção Humana. O grupo, formado por cerca de sete pessoas, se reúne para arrecadar alimentos e entregar 30 cestas básicas por mês para famílias da Rua Ceará e Hilário Ribeiro, na Praça da Bandeira, onde também fica a Capela de São José, que pertence à nossa basílica. Todo primeiro sábado do mês, a equipe vai de casa em casa,  faz uma oração e entrega as cestas básicas. Muito mais do que ajudar com o pão de cada dia, os voluntários também levam a palavra do Senhor, acompanham as famílias carentes e estão atentos a outras necessidades que elas possam ter. O grupo é uma visita tão aguardada por moradores que, muitas vezes, não têm quem olhe por eles. Uma palavra amiga, uma atenção especial que recebem com tanta generosidade da equipe São José.

Para que esse trabalho tão bonito possa ser realizado, o grupo precisa muito da ajuda de nossos paroquianos, já que as cestas básicas são compostas por doações. Todo segundo domingo do mês, os participantes da basílica são convidados a doar um alimento durante as missas. Para compor as cestas básicas, podem ser doados arroz, feijão, açúcar, fubá, macarrão, farinha de trigo, óleo, sal, café, leite em pó e biscoito. No entanto, durante todo o mês esses itens também podem ser entregues na secretaria da paróquia. Segundo a equipe, o item que costuma faltar mais é o pó de café. Quando não há a quantidade suficiente de todos os itens, muitas vezes é o próprio grupo que completa os alimentos restantes para formar as cestas. Doações de alimentos e ajuda para montar e entregar as cestas básicas são muito bem-vindas.  Quem estiver interessado em contribuir com a Equipe São José de Promoção Humana ou quiser fazer parte do grupo pode procurar mais informações na secretaria da basílica.

Luciana Weyne

Catequese da Capela São José
Acordar cedo aos domingos e se preparar para alimentar o corpo e a alma das crianças da comunidade. Essa é a rotina da equipe da catequese da Capela de São José, que fica na Rua Ceará e pertence à nossa paróquia. Por ser uma região muito carente, as necessidades das crianças são diferentes e, mais do que levar a palavra de Deus, a equipe faz um trabalho social com os meninos e meninas em idade de catequese e os jovens da perseverança. Patrícia, Natasha, Alana e Jorge começam o domingo chamando as crianças na suas casas e, às 8h30, oferecem um delicioso café da manhã, com pães, leite e suco. Quando não há recursos financeiros provenientes da coleta das missas, a própria equipe se junta e cada um traz um alimento diferente. Após o café, o grupo faz uma animação com as crianças, com música, brincadeiras e dinâmicas, tudo voltado para a temática da evangelização.

Segundo a coordenadora da catequese da capela, Patrícia Rodrigues, a maioria das crianças não conta com a participação da família na vida religiosa e algumas sequer são incentivadas, indo por conta própria para a catequese. Além disso, a carência material da comunidade da Rua Ceará e a vizinhança com uma região de prostituição demandam um trabalho diferente, em que a criança tenha contato com a palavra de Deus de forma mais suave e divertida. “O nosso objetivo não é parecer com uma escola. Queremos mostrar para as crianças que não existem só as orações ‘prontas’, como Ave-Maria ou o Pai-Nosso, mas que a oração vem do coração e a catequese é um momento de encontro com Deus”, conta Patrícia. Como não há um estímulo familiar, o público que frequenta a catequese oscila muito, mas há uma média de 15 meninos a cada domingo participando das atividades. Outro trabalho importante é o apoio individual que o grupo dá às crianças, ouvindo suas necessidades e procurando ajudar na vida dos pequenos dentro da comunidade.

Além dos catequistas, outros paroquianos ajudam na capela, como o casal Roberto e Dani, que toca nas missas e faz a animação das crianças. A equipe ressalta que toda ajuda é bem-vinda e que é muito importante a integração entre a capela e a basílica. Quem quiser participar das missas na capela São José pode ir aos domingos, às 10h30 e às quartas-feiras, às 19h30.

Luciana Weyne

Bazar Zélia Martin
A partir deste mês, nosso boletim traz de volta a seção “A Cara da Comunidade”, mas agora de cara nova. Não mais sobre pessoas específicas, mas sim sobre grupos de nossa paróquia. Nosso objetivo é apresentar aos paroquianos um pouco da história de nossas pastorais e suas atividades. Você sabia que nossa comunidade conta com mais de 40 grupos, entre pastorais, ministérios, associações, movimentos, capelas e serviços? Eles se dedicam não só ao serviço da evangelização, mas também na ajuda a nossa comunidade, que não se restringe aos muros da Basílica.

Como a Arquidiocese do Rio elegeu 2014 como o ano da caridade, reiniciamos a Cara da Comunidade com as pastorais que se dedicam às obras sociais. Uma importante atividade a serviço do próximo desenvolvida em nossa basílica é a do Bazar Zélia Martin. Composto por 12 pessoas, dentre elas quatro coordenadoras (Bete, Marisa, Ruth Chris e Margarida), o bazar nos moldes em que existe hoje funciona há seis anos. Todas as quartas-feiras, das 9h às 12h e das 14h às 17h, a comunidade pode comprar roupas e outros acessórios a preços populares. Além disso, o grupo trabalha também durante os três dias da festa junina e durante toda a novena de Santa Teresinha.

Para manter o bazar funcionando, a equipe recebe doações todos os dias na secretaria da paróquia ou no próprio bazar às quartas-feiras. No entanto, é muito importante que os itens estejam em boas condições, já que não é possível colocar à venda roupas e objetos rasgados ou em mau estado de conservação.

Todas as terças, quintas e sextas-feiras, a equipe trabalha na triagem das doações. São dois grupos de materiais: o primeiro é vendido a preços populares na igreja. Há ainda um outro grupo de materiais que é doado para comunidades da arquidiocese e para obras de caridade, como a Toca de Assis. Além disso, roupas e calçados também são destinados a desabrigados de tragédias, como a do Morro do Bumba, em Niterói.

A verba arrecadada com o bazar é totalmente investida na comunidade pelo nosso pároco. O trabalho da equipe é totalmente voluntário e, apesar de árduo e intenso, é feito com muito amor. Tudo para ajudar nossos irmãos necessitados e ajudar a promover a solidariedade.

Luciana Weyne

Encontros e despedidas
A cada três anos, acontece um Capítulo. E a cada Capítulo, os personagens podem ou não mudar, mas as falas sempre se repetem: “Quem será que vem pra cá?”; “Será que algum deles permanecerá conosco?” São os paroquianos ansiosos com as mudanças na composição do convento e na direção da paróquia. No Capítulo, encontro mais importante das províncias da Ordem Carmelitana Descalça, são tomadas decisões administrativas e operacionais para nortear a atuação dos carmelitas nos territórios em que estão presentes. Entre outras coisas, são decididas transferências de frades entre as paróquias e eleitos o Provincial, os párocos de cada comunidade e os superiores dos conventos.

Ler o artigo completo…


Veja aqui os perfis anteriores

Informativo – Dez/2016


Cadastre-se para receber nossas notícias: