Cronologia

Alençon (1873-1877)

02/01/1873 Nascimento de Maria Francisca Teresa Martin, à rua Sainte-Blaise (São Brás), 36 (hoje 42).
04/01/1873 Batismo na igreja de Nossa Senhora (pelo Pe. Lucien Dumaine). Padrinhos: a irmã mais velha, Marie (13 anos) e Paul Albert Boul (13 anos).
14/01/1873 Primeiro sorriso à mãe.
15 ou 16/03/1873 Partida para Semallé (Orne) a fim de ser amamentada por Rosa Taillé.
02/04/1874 Retorno definitivo de Teresa para casa.
29/03/1875 Viagem com a mãe a Mans para visitar a tia (Irmã Maria Dositéia) no mosteiro da Visitação
16/07/1876 Primeiro retrato. Faz beicinhos para o fotógrafo.
24/12/1876 Zélia Martin consulta-se com Dr. Notta, em Lisieux. Fica sabendo que não é possível operar o tumor no seio.
03/04/1877 Aos quatro anos, afirma: “Serei religiosa em um claustro”.
04/04/1877 Primeiro escrito de Teresa: um bilhete a Luisa Madalena, amiga da irmã Paulina.
18 a 23/06/1877 Peregrinação da Sra. Martin, Maria, Paulina e Leônia a Lourdes
28/08/1877 Morre da Sra. Martin
29/08/1877 Enterro da Sra. Martin. Teresa escolhe Paulina como sua segunda mãe.

Lisieux (1877-1888)

15/11/1877 Chegada de Teresa e suas irmãs a Lisieux, aos cuidados dos tios Celina e Isidoro Guérin
16/11/1877 Instalação nos Buissonnets
30/11/1877 O Sr. Luís Martin chega aos Buissonnets
08/08/1878 Teresa vê o mar pela primeira vez, em Trouville
Verão de 1879 (ou em 1880) Teresa tem uma visão profética da provação de seu pai
Fim de 1879 (ou começo de 1880) Primeira confissão de Teresa
13/05/1880 Primeira comunhão de Celina
01/12/1880 Primeira carta (que se conserva) escrita por Teresa (sozinha). Destinava-se à irmã Paulina.
03/10/1881 Matrícula de Teresa na abadia das beneditinas como semi-interna.
12/01/1882 Inscrição na Obra da Santa Infância
16/02/1882 Paulina decide ingressar no Carmelo. Teresa também se sente chamada.
02/10/1882 Paulina entra para o Carmelo de Lisieux.
Dezembro de 1882 Teresa sente dores de cabeça constantes, sofre de insônia e aparecem-lhe bolhas pelo corpo.
25/03/1883 Enquanto o Sr. Martin, Maria e Leônia estão em Paris para a Semana Santa, Teresa adoece na casa dos Guérin. Tem tremores nervosos e alucinações.
06/04/1883 Tomada de hábito de Paulina (Irmã Inês de Jesus). Teresa pôde abraçar a irmã no locutório.
07/04/1883 Recaída, nos Buissonnets.
13/05/1883 Pentecostes. Sorriso da Virgem cura instantaneamente Teresa.
Agosto de 1883 Férias em Alençon
22/08/1883 Primeiro encontro com o Padre Pichon em Alençon
Fevereiro-maio de 1884 Cartas da irmã Paulina com a finalidade de preparar Teresa para a primeira comunhão
5 a 08/05/1884 Retiro preparatório.
07/05/1884 Confissão geral.
08/05/1884 Primeira Eucaristia na Abadia das Beneditinas. Profissão de Irmã Inês de Jesus no Carmelo.
22/05/1884 (Ascensão) Teresa comunga pela segunda vez.
14/06/1884 Teresa é crismada na abadia por Dom Hugonin, bispo de Bayeux, tendo a irmã Leônia como madrinha.
Agosto de 1884 Férias em Saint-Ouen-le-Pin, na casa da tia Celina Guérin.
25/09/1884 Inscrição na Confraria do Santo Rosário
14/12/1884 Teresa é nomeada Conselheira da Associação dos Santos Anjos, na Abadia.
26/04/1885 Inscreve-se na Confraria da Sagrada Face de Tours.
3-10/05/1885 Férias em Deauville.
17 a 21/05/1885 Retiro preparatório de renovação. Início da crise de escrúpulos, que durara cerca de um ano e meio.
Julho de 1885 Férias em Saint-Ouen-le-Pin.
22/8 a começo de outubro de 1885 Viagem do Sr. Martin a Constantinopla.
Fim de setembro de 1885 Férias em Trouville.
Outubro de 1885 Teresa retorna sozinha (sem Celina) para a abadia.
15/10/1885 Inscreve-se no Apostolado da Oração
02/02/1886 Recepção como aspirante das Filhas de Maria.
Fevereiro-março de 1886 Teresa deixa a abadia e passa a ter lições com a Sra. Papineau.
Começo de julho de 1886 Teresa passa três dias em Trouville.
Por volta de 5 de outubro de 1886 Viagem de alguns dias a Alençon com o pai e as irmãs.
15/10/1886 Entrada de Maria no Carmelo de Lisieux (Irmã Maria do Sagrado Coração de Jesus)
Fim de outubro de 1886 Teresa fica livre da crise de escrúpulos.
1º/12/1886 Leônia volta para casa.
25/12/1886 Aos treze anos, depois da missa da meia-noite, Teresa recebe a graça da “conversão”, nos Buissonnets.
19/03/1887 Tomada de hábito de Maria.
1º/5/1887 O Sr. Martin tem um ataque de paralisia. Leitura das conferências de Arminjon.
29/05/1887 Pentescostes. Teresa obtém autorização do pai para ingressar no Carmelo aos quinze anos de idade.
31/05/1887 Teresa é admitida como Filha de Maria na Abadia.
20-26/06/1887 Férias em Trouville.
Primavera-verão de 1887 Conversas espirituais com Celina no mirante dos Buissonnets.
Julho de 1887 A imagem do Crucificado desvenda a vocação apostólica de Teresa.
13/07/1887 O assassino Pranzini é condenado à morte. Teresa reza e se sacrifica pela conversão dele.
16/07/1887 Entrada de Leônia na Visitação de Caen.
1º/9/1887 Teresa lê a notícia da execução de Pranzini e de sua conversão
31/10/1887 Visita a Dom Hugonin, em Bayeux, para solicitar autorização de ingressar no Carmelo.
04/11/1887 Teresa viaja para Paris com o Sr. Martin e Celina e depois ruma para Roma, passando por Mião, Veneza e Loreto.
20/11/1887 Em audiência com Leão XIII, Teresa solicita sua anuência para entrar no Carmelo.
02/12/1887 Teresa regressa a Lisieux.
28/12/1887 Resposta favorável de Dom Hugonin à priora do Carmelo, Madre Maria de Gonzaga, para admissão de Teresa.
1º/1/1888 Resposta positiva, mas a Madre Superiora decide que a entrada de Teresa se dê depois da Quaresma.
09/04/1888 Festa da Anunciação. Entrada de Teresa no Carmelo de Lisieux.

Carmelo (1888-1897)

09/04/1888 a 10/01/1889 Postulantado. Ocupação: rouparia.
22/05/1888 Profissão da Irmã Maria do Sagrado Coração.
28/05/1888 Confissão geral ao Pe. Pichon. Libertação de sofrimentos espirituais.
23/06/1888 Sr. Martin vai para o Havre.
12/08/1888 Novo ataque do Sr. Martin, nos Buissonnets.
fim de outubro de 1888 Teresa é admitida pelo Capítulo Conventual à tomada de hábito.
31/10/1888 Grave recaída do Sr. Martin no Havre.
5-10/01/1889 Retiro para tomada de hábito.
10/01/1889 Tomada de hábito. Última festa para o Sr. Martin. Teresa acrescenta “da Santa Face” ao seu nome religioso.
10/01/1889 a 24/09/1890 Noviciado  Ocupação: refeitório (com irmã Inês de Jesus) – serviço de vassoura.
12/02/1889 O Sr. Martin é internado no Hospital Bon Salvador de Caen.
Julho de 1889 Teresa recebe uma graça marial no eremitério de Santa Madalena e “semana de quietude”.
Janeiro 1890 Retardamento da profissão de Teresa. Ela lê Les fondements de la vie spirituelle, do Pe. Surin.
1889 Ao longo do ano, descobre os textos relativos ao “servo que sofre” (Isaías). Leitura das obras de São João da Cruz.
28/8 a 08/09/1890 Retiro para profissão. Secura espiritual.
02/09/1890 Exame canônico na capela. Bênção de Leão XIII.
07/09/1890 Teresa duvida de sua vocação.
08/09/1890 Profissão de Teresa. Sente-se “inundada de um rio de paz”.
24/09/1890 Tomada de véu, sem a presença do Sr. Martin.
10/02/1891 Designada segunda sacristã, com a irmã Santo Estanislau.
Abril-julho 1891 Oração por Jacinto Loyson.
07 a 15/10/1891 Retiro pregado pelo padre franciscano Aleixo Prou. Teresa é lançada “nas ondas da confiança e do amor”.
05/12/1891 Morte da madre Genoveva, fundadora do Carmelo de Lisieux.
Fim de dezembro de 1891 Epidemia de influenza.
10/05/1892 Retorno do Sr. Martin a Lisieux.
12/05/1892 Última visita do Sr. Martin no locutório do Carmelo.
02/02/1893 Teresa compõe sua primeira poesia, O orvalho divino.
20/02/1893 Eleição de Madre Inês como Priora. Teresa torna-se auxiliar da mestra de noviças, Madre Maria de Gonzaga.
Junho de 1893 Teresa pinta um afresco no oratório.
24/06/1893 Leônia entra pela segunda vez na Visitação de Caen.
Setembro de 1893 Teresa fica no noviciado. Ocorre sua nomeação como segunda porteira.
02/01/1894 Teresa atinge a maioridade.
21/01/1894 Primeira “recreação piedosa”. Interpreta o papel de Joana d´Arc.
Primavera 1894 Começa a sofrer da garganta.
16/06/1894 Entrada da irmã Maria da Trindade, que é confiada a Teresa.
29/07/1894 Morte do Sr. Martin.
Agosto 1894 Teresa muda de cela.
14/09/1894 Entrada de Celina no Carmelo. Ela é confiada a Teresa.
Dezembro 1894 Recebe da Madre Inês de Jesus a ordem de escrever suas memórias.
1895 Ano da redação do Manuscrito A.
05/02/1895 Tomada de hábito de Celina (Irmã Genoveva)
26/02/1895 Teresa compõe a poesia “Viver de amor”.
abril 1895 Confidencia a Irmã Teresa de Santo Agostinho: “Morrerei em breve”.
09/06/1895 (Festa da Santíssima Trindade) Recebe, durante a missa, a inspiração de oferecer-se ao Amor Misericordioso.
11/06/1895 Faz, com Celina, a oblação do Amor, diante da Virgem do Sorriso. (Pouco depois, ao começar sua via-sacra, vivencia intensa experiência do amor de Deus.)
20/07/1895 Leônia sai da Visitação.
15/08/1895 Entrada de Maria Guérin no Carmelo.
17/10/1895 Teresa é designada, por Madre Inês, irmã espiritual do Pe. Maurício Bellière, seminarista e aspirante a missionário.
20/01/1896 Teresa entrega a Madre Inês o Manuscrito A.
24/02/1896 Profissão da Irmã Genoveva.
17/03/1896 Tomada de véu da Irmã Genoveva. Tomada de hábito de Maria Guérin (Irmã Maria da Eucaristia).
21/03/1896 Difícil eleição (sete dias) de Madre Maria de Gonzaga ao priorado. Teresa é confirmada no cargo de mestra auxiliar no noviciado. Outros ofícios: sacristia, pintura, rouparia (com Maria de São José).
2 a 03/03/1896 Noite de Quinta para Sexta-feira Santa: primeira hemoptise, na cela.
03/04/1896 Segunda hemoptise.
05/04/1896 Entrada na “noite da fé” (provação da fé), que durará até sua morte.
10/05/1896 Sonho com a Venerável Ana de Jesus.
30/05/1896 Madre Maria de Gonzaga confia a Teresa um segundo irmão espiritual: Padre Roulland, das Missões Estrangeiras.
03/07/1896 Primeira missa do Padre Roulland no Carmelo. Conversa com Teresa no locutório.
7-18/09/1896 Retiro individual.
08/09/1896 Redação do Manuscrito B.
13-16/09/1896 Carta à Irmã Maria do Sagrado Coração (Manuscrito B, 1ª parte).
Novembro de 1896 Leitura da vida de Teófanes Vénard. Novena a esse mártir para conseguir a partida como missionária para a Indochina. Recaída do pulmão.
25/03/1897 Profissão da Irmã Maria da Eucaristia.
Início de abril 1897 (Fim da Quaresma) Fica gravemente enferma.
06/04/1897 Início das “Últimas Conversas”.
03/06/1897 Redação do Manuscrito C, por ordem de Madre Maria de Gonzaga.
08/07/1897 Teresa desce para a enfermaria. Hemoptises até 5 de agosto. Manuscrito C inacabado.
30/07/1897 Unção dos enfermos.
19/08/1897 Última comunhão.
30/08/1897 Última fotografia no claustro
14/09/1897 Desfolha uma rosa sobre o crucifixo.
29/09/1897 Agonia. Confissão ao Pe. Faucon.
30/09/1897 Morte de Teresa, diante da comunidade reunida, por volta das 19h20min.
04/10/1897 Sepultamento no Cemitério de Lisieux.

Fatos póstumos

07/03/1898 Dom Hugonin permite a impressão de História de uma alma.
02/05/1898 Morte de Dom Hugonin.
26/05/1898 Reine Fauquet, menina cega de quatro anos de idade, é curada sobre o túmulo de Teresa.
30/09/1898 Impressão de 2.000 exemplares de História de uma alma.
28/01/1899 Leônia entra definitivamente para a Visitação de Caen.
Páscoa de 1899 Esgotada a primeira edição de História de uma alma.
Outubro de 1899 Esgotada metade da segunda edição (com tiragem de 4.000 exemplares).
1899-1902 Relatos de graças e curas. Chegam peregrinos para rezar na sepultura da Irmã Teresa no cemitério de Lisieux.
19/04/1902 Reeleição de Madre Inês de Jesus como priora (ficará em exercício até a morte, por vontade de Pio XI, descontada uma interrupção de 18 meses (1908-1909).
17/12/1904 Morte da Madre Maria de Gonzaga
14/04/1905 Morte da Irmã Maria da Eucaristia, de tuberculose.
09/07/1906 Luís Veuillot, no l´Univers, difunde que o Carmelo trata de introduzir a causa da Irmã Teresa no Tribunal de Roma.
15/10/1907 Dom Lemonnier, novo bispo de Bayeux, pede que as carmelitas anotem suas recordações a respeito da Irmã Teresa.
Janeiro de 1909 Padre Rodrigues (OCD, Roma) e Mons. de Teil (Paris) são nomeados, respectivamente, postulador e vice-postulador da causa de beatificação de Teresa.
05/03/1910 Rescrito de Roma para o processo dos escritos.
Julho de 1910 Desde um ano atrás, o Carmelo recebeu 9.741 cartas da França e do exterior
03/08/1910 Instituição do tribunal diocesano para o processo do Ordinário.
12/08/1910 Primeira sessão do processo, no Carmelo.
06/09/1910 No cemitério de Lisieux, exumação dos restos mortais da Irmã Teresa, e transladação para novo sepulcro.
10/06/1912 Pio X assina o Decreto de Introdução da Causa (declarara, em particular, a um bispo missionário que a Irmã Teresa era “a maior santa dos tempos modernos”.
Julho de 1914 Média de 200 cartas por dia.
10/12/1914 Em Roma, decreto de aprovação dos escritos da Irmã Teresa.
17/03/1915 Em Bayeux, início do Processo Apostólico.
9-10/08/1917 Segunda exumação e reconhecimento canônico dos restos mortais da Irmã Teresa no cemitério de Lisieux.
09/02/1918 Pelo correio do dia, 512 cartas.
14/08/1921 Bento XV promulga o Decreto sobre a heroicidade das Virtudes da Venerável Serva de Deus e profere uma alocução sobre a infância espiritual.
29/04/1923 Beatificação da Irmã Teresa do Menino Jesus por Pio XI.  O Carmelo recebe entre 800 e 1.000 cartas por dia. Relíquias são trasladadas do cemitério de Lisieux para o Carmelo.
17/05/1925 Solene Canonização na Basílica de São Pedro, em Roma. Homilia de Pio XI em presença de 60.000 pessoas. À noite, na Praça de São Pedro, 500.000 peregrinos.
Janeiro de 1927 Publicação das “Últimas conversas”.
13/07/1927 A festa litúrgica de Santa Teresinha é ampliada para a Igreja Universal.
14/12/1927 Proclamada Padroeira Universal das Missões, ao lado de São Francisco Xavier, por Pio XI.
30/09/1929 Lançamento da primeira pedra da Basílica de Lisieux.
11/07/1937 Inauguração e bênção da Basílica de Lisieux pelo legado do Papa, Cardeal Pacelli, futuro Pio XII. Mensagem de Pio XI, retransmitida pelo rádio.
24/07/1941 Fundação da Missão de França. Seu seminário é instalado em Lisieux.
03/05/1944 Nomeada Padroeira secundária da França, juntamente com Santa Joana d’Arc, por Pio XII.
Junho de 1944 Lisieux é parcialmente destruída pelos bombardeios dos aliados. A abadia (escola de Teresa) desaparece.
1947 50º aniversário da morte de Santa Teresinha. Sua urna é transportada por quase todas as dioceses da França.
Setembro de 1948 Primeira edição das Cartas.
11/07/1954 Solene consagração da Basílica de Lisieux.
1956 Publicação da edição fac-similar dos Manuscritos autobiográficos (reconstituição de História de uma alma segundo os textos originais), pelo Padre Francisco de Santa Maria.
Julho de 1971 Publicação dos “Derniers entretiens” (primeiro volume da Edição do Centenário).
Julho de 1972 Publicação da “Correspondance générale” (Edição do Centenário).
1973 Celebração do centenário de nascimento de Teresa Martin.
17/05/1975 Celebração do cinquentenário de canonização da santa.
30/09/1997 Primeiro centenário da morte.
19/10/1997 Solene proclamação de Santa Teresinha como Doutora da Igreja, pelo Papa João Paulo II.
13/12/1997 A urna com suas relíquias chega ao Brasil para peregrinar por várias dioceses, trazida pelo Cardeal Primaz Dom Lucas Moreira Neves.
30/09/1998 Primeiro Centenário da Publicação de “História de uma Alma”.
Junho e julho de 2010 Relíquias de Santa Teresinha visitam a África do Sul